16 de jun de 2009

Rosa



Vim pela escada de espinhos.
(Mais durável esse esforço que o esplendor.)

Depois de ascensão tão longa,
qualquer vento, qualquer chuva
converte-me em queda e pó.

Quando se vê a coroa
que eu trazia, já não sou.

Entre espinhos e derrotas,
qual é meu tempo de flor?


Cecília Meireles
Dispersos -1960-

Um comentário:

  1. A vida é um incêndio:
    nela dançamos,
    salamandras mágicas
    Que importa restarem cinzas
    se a chama foi bela e alta?
    Em meio aos toros que desabam,
    cantemos a canção das chamas!
    Cantemos a canção da vida,
    na própria luz consumida...

    (Mário Quintana)

    Desejo um lindo resto de semana com muito amor e carinho.
    Abraços Eduardo Poisl

    ResponderExcluir

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é