29 de jun de 2009

VIOLA



Minha cantiga servia
para dizer coisas densas
que apenas eu mesmo ouvia.

Foi a palavra quebrada
por muito encontro guerreiro:
ferozes golpes de espada
na tênue virtude alada
de um coração prisioneiro.

Cantar não adianta nada.

Explicar-se não se explica.

Por entre coisas imensas,
torto e ignorado se fica.

Com pensativos vagares,
de fundos poços me abeiro:
chorar é muito mais fácil
e talvez mais verdadeiro.

Cecília Meireles
in Mar Absoluto

Um comentário:

  1. “O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.
    E os que lêem o que escreve,
    Na dor lida sentem bem,
    Não as duas que ele teve,
    Mas só a que eles não têm.
    E assim nas calhas de roda
    Gira, a entreter a razão,
    Esse comboio de corda
    Que se chama coração.”

    (Fernando Pessoa)

    Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho.
    Abraços


    VISITE TAMBÉM O MEU NOVO BLOGGER UMA ILHA PARA AMAR

    ResponderExcluir

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é