6 de jul de 2009

24



Uma pessoa adormece:
ramo de vida sozinho
na pedra escura da noite
pousado.

E em sua cabeça a flor
dos sonhos já se arredonda,
com muitas seivas trazidas
do caos.

Uma leve brisa apenas
anima esse ramo calmo
e os lábios desse perfume
exausto.

Ah... se essa brisa parasse!
que sonhariam os sonhos
do frágil ramo, na vida
pousado?


Cecília Meireles
in Metal Rosicler

2 comentários:

  1. Olá cara Maria Madalena, Cecília Meireles sem dúvida era uma poetisa de talento ímpar e grande sensibilidade. Seu blogger em homenagem a ela é encantador , feito com muito esmero. Este poema assim como inúmeros outros que ela escreveu são parte da estória da Literatura brasileira. Eu me inspiro muito nela para escrever poemas infantis que publico no meu blogger " Gotinhas de poesias". Cheguei ao seu blogger através do blogger da Regina Ragazzi, por meio de quem também conheci o " Meus poemas favoritos " que já estou acompanhando. Quando puder visite meus bloggers. Um abraço e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  2. Lindo demais esse poema de Cecília e lindo demais o seu blog.

    Fiz a tradução dele para o espanhol no meu blog:

    http://poemasdelbrasil.blogspot.com.es/2014/11/cecia-meireles-una-persona-adormece.html
    ________________________

    Una persona adormece:
    rama de la vida sola
    en la piedra oscura de la noche
    posada.

    Y en su cabeza la flor
    de los sueños se completa,
    con muchas savias traídas
    del caos.

    Una leve brisa tan sólo
    anima a esa rama sosegada
    y los labios de ese perfume
    exhausto.

    Ah... ¡si la brisa parase!
    ¿qué soñarían los sueños
    de la frágil rama, en la vida
    posada?


    Del poemario «Metal Rosicler» (1960)
    Cecília Meireles (1901-1964)
    Traducción: Juan Martín
    _________________________________

    Abraço (Juan Martín)

    ResponderExcluir

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é