12 de ago de 2009

Trânsito




Tal qual me vês,
há séculos em mim:
números, nomes, o lugar dos mundos
e o poder do sem fim.

Inútil perguntar
por palavras que disse:
histórias vãs de circunstância,
coisas de desespero ou meiguice.

(Mísera concessão,
no trajeto que faço:
postal de viagem, endereço efêmero,
álibi para a sombra do meu passo…)

Começo mais além:
onde tudo isso acaba, e é solidão.
Onde se abraçam terra e céu, caladamente,
e nada mais precisa explicação.


Cecília Meireles
in Mar Absoluto

3 comentários:

  1. Tem um prêmio pra vc no meu blog! Parabéns pelo seu, é lindo! Bjos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Maria, pela visita! Eu sempre venho aqui no seu cantinho... é um oásis! Bjos e fique com Deus!

    ResponderExcluir

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é