1 de mar de 2011

Inicial


Lá na distância, no fugir das perspectivas,
Por que vagueiam, como o sonho sobre o sono,
Aquelas formas de neblinas fugitivas?

Lá na distância, no fugir das perspectivas,
Lá no infinito, lá no extremo... no abandono...

Aquelas sombras, na vagueza da paisagem,
Que tem brancuras de crepúsculos do Norte,
Dão-me a impressão de vir de outrora...de uma viagem...

Aquelas sombras, na vagueza da paisagem,
Dão-me a impressão do que se vê depois da morte...

Lá muito longe, muito longe, muito longe,
Anda o fantasma espiritual de um peregrino...
Lembra um rei mago, lembra um santo, lembra um monge...

Lá muito longe, muito longe, muito longe,
Anda o fantasma espiritual do meu destino...


Cecília Meireles
De Baladas para El-Rei

4 comentários:

  1. Os poemas de Cecília fazem bem a minha alma.
    Lindo blog.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Apaixonante esse blog!
    Lindos poemas de Cecília!

    Sempre estarei por aqui! me encantei!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. que blog bacana!! parabens

    ResponderExcluir
  4. Este blog é um dos mais belos que conheço. Parabéns pela sensibilidade e imenso bom gosto.
    Como seguidora, buscarei nestas lindas poesias de Cecília Meireles um pouco de bálsamo, luz e claridade, sempre que desejar sorrir e me encontrar em bom lugar.
    Conheça meu blog também e dê sua opinião. Ficarei muito feliz.
    http://bibliotecainfantilgrandesautores.blogspot.com
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é