12 de nov de 2012

"Ritmo de Nápoles"



 

Atravesso este momento,
transfigurada de outrora.
por muros brancos de estatuas.

Em sonho vou respondendo
ao que dizem noutra língua.
E a lua nasce entre os álamos.

Que haja amor ou desespero,
tudo é como a frágil tinta
desta tarde nestas águas.

Sei que cantam, sei que passam,
que os barcos tem remos verdes
e aquele é o golfo de Nápoles.

Sei que em minha alma há silencio,
que envolvo em silencio o mundo
e há primavera nas arvores.
  

Cecília Meireles
In: Poemas Italianos

Um comentário:

  1. Cecilia sempre nos encantando..sua poesia é atual porque ela enxerga a alma e a alma é atemporal.Boa escolha..beijos

    ResponderExcluir

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é