15 de jun de 2014

Música matinal



A Onestaldo de Pennafort


Não me digam quem é
a dona que toca
por detrás da manhã
quase noite ainda
nesta franja de luar
do velho teclado
caminho de marfim
de pálidas Musas.

Ó Mozart de cristal
desfolhado à brisa
de orvalho e jasmim!

Cavalos tranqüilos
mascam trevos de som,
hastes de sustenidos
e fieiras de grãos
negros de semifusas.
Bebem a água do ar
E levantam nos olhos
as ruas do céu.

Não me digam quem é
a dona da sombra
imperativa e irreal.

Deixai que a cidade
encontre ao despertar
o passaro claro
que vem de suas mãos
e das nuvens à terra
abre asas de luz
e suspende em seu canto
a áurea rosa do sol. 


Cecília Meireles
In: Poesia Completa
Dispersos (1918-1964)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é