18 de jul de 2010

'Sobre um passo de luz outro passo de sombra'


Sobre um passo de luz outro passo de sombra.
Era belo não vir; ter chegado era belo.
E ainda é belo sentir a formação da ausência.

Nada foi projetado e tudo acontecido.
Movo-me em solidão, presente sendo e alheia,
com portas por abrir e a memória acordada.

A acordada memória! esta planta crescente
com mil imagens pela seiva resvalantes,
na noite vegetal que é a mesma noite humana.

Vejo-me longe e perto, em meus nítidos moldes,
em tantas viagens, tantos rumos prisioneira,
a construir o instante em que direi teu nome!

Que labirintos bebem meu rosto?


Cecilia Meireles
in 'Solombra'

Um comentário:

  1. hello Maria!

    i'm from Hungary and i have just begun to learn Portuguese. can you tell me what does this poem says? it's about love, sorrow, light and shadow?

    obrigada :)

    ResponderExcluir

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é