18 de set de 2013

EPIGRAMA DO ESPELHO INFIEL


A João de Castro Osório 


Entre o desenho do meu rosto 
e o seu reflexo, 
meu sonho agoniza, perplexo. 

Ah! pobres linhas do meu rosto, 
desmanchadas do lado oposto, 
e sem nexo! 

E a lágrima do seu desgosto 
sumida no espelho convexo! 



CECíLIA MEIRELES 
In Vaga Música, 1942 



Um comentário:

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é