5 de abr de 2014

Panorama


Em cima, é a lua,
no meio, é a nuvem,
embaixo, é o mar.
Sem asa nenhuma,
sem veda vela nenhuma,
para me salvar.


Ao longe, são noites,
de perto, são noites,
quem se há de chamar?
Já dormiram todos,
não acordam outros...
Água. Vento. Luar.


O trilho da terra
para onde é que leva,
luz do meu olhar?
Que abismos aéreos
de reinos aéreos
para visitar!


Na beira do mundo,
do sono do mundo
me quero livrar.
E em cima – é a lua,
no meio – é a nuvem,
e embaixo – é o mar! 



Cecília Meireles
In: Poesia Completa
Vaga Música (1942)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito grata por seu comentário, ele é muito importante para nós!

Seja bem-vindo. Hoje é